2
Abr

PT/// A Plataforma Revólver recebeu Ana Rosa Hopkins no Edifício Transboavista, no âmbito da residência artística da primavera 2014. Entre abril e maio a artista realizou trabalho específico para o espaço Plataforma Revólver HOTEL. A residência da Ana Rosa Hopkins na Plataforma Revólver, em Lisboa, criou a possibilidade da artista reunir diferentes ideias sobre as quais a sua prática se centra e se confronta; mas permitiu também a exploração e o uso de matérias e objetos que a artista nunca havia antes desenvolvido.
A exposição no espaço HOTEL foi a ocasião perfeita para a artista trabalhar no contexto da cidade de Lisboa, na pesquisa dos ambientes que vivenciou, o que lhe permitiu a utilização e articulação – em boa parte – dos materiais agora apresentados em permanente diálogo com as suas ideias e a sua prática conceptual. Quer isto dizer que a residência permitiu à artista refletir sobre a prática no local (site-specific), através de uma noção mais abrangente da produção artística e também de se interrogar sobre o fazer e sobre os diferentes significados do ‘fazer’. Fazer qualquer coisa, não importa com que objecto ou material, foi a ideia desenvolvida no âmbito desta exposição apresentada em Lisboa, no Hotel da Plataforma Revólver.
É caso para dizer que a artista britânica, estabelecida em Manchester, encontrou recordações de outra natureza no contacto e na sua relação com a história da cidade de Lisboa, que influenciaram com sinceridade o seu espírito e a sua prática, ao longo do período de quatro semanas da sua permanência ininterrupta no Transboavista.

Biografia
Ana Rosa Hopkins (nascida em Córdoba, Argentina) é doutoranda no MIRIAD (Instituto de Investigação e Inovação em Arte e Design), na Manchester Metropolitan University intitutlado “The back-story in contemporary sculptural practice: material, history and action and the legacy of Joseph Beuys”. Tem apresentado os seus trabalhos em exposições individuais e coletivas, entre Alemanha, Finlândia, Portugal, Espanha e Brasil. Tem recebido diversos prémios no Reino Unido e em 2013 foi artista convidada na Ebenbockhaus, pelo Município da cidade de Munique. Em 2014, foi premiada com residências e exposições na Plataforma Revolver, Lisboa e a Real Fábrica de Cristales de La Granja, Segóvia, Espanha.

A residência na Plataforma Revólver realizou-se com o apoio do Edifício Transboavista, da MIRIAD e da Câmara Municipal de Lisboa.



              Vista da entrada na exposição THINK | ACT | FORM de Ana Rosa Hopkins (UK) na Plataforma Revólver HOTEL



EN /// Plataforma Revólver is pleased to host Ana Rosa Hopkins in the Transboavista building for the spring artist residency program me. Between April and May the artist presents series of new specific works for the Plataforma Revólver HOTEL.
The residency for Ana Rosa Hopkins at Plataforma Revólver in Lisbon gave her the opportunity to bring together different ideas around the focus and challenges of her practice; but also allowed the exploration and use of materials and objects which the artist had never worked with before.
The exhibition at the Plataforma Revólver HOTEL was the perfect moment for the artist to work within the context of the city of Lisbon and explore the environments she experienced, allowing her in many of the works to express a constant dialogue between the materials used and her ideas and conceptual practice. This means that the residence allowed the artist to reflect on the site specific through a broader notion of artistic production and to question the making process and the different meanings of ‘making’. The idea developed in the context of this exhibition presented at Hotel Plataforma Revólver, Lisbon was to do anything, no matter with what object or material. That is to say that the British artist currently living in Manchester came across other types of memories in her contact and relationship with the history of the city of Lisbon, which strongly influenced her spirit and practice over her four weeks uninterrupted stay in Transboavista.

Biography
Ana Rosa Hopkins (born in Córdoba, Argentina) is currently undertaking a PhD by Practice in MIRIAD, Manchester Institute for Research and Innovation in Art & Design at Manchester Metropolitan University entitled “The back-story in contemporary sculptural practice: material, history and action and the legacy of Joseph Beuys”.
She has presented her work in solo and group exhibitions, including Germany, Finland, Portugal, Spain and Brazil and has received several awards in the UK. In 2013 she was a guest artist at Ebenbockhaus in Munich at the invitation of the Municipality. In 2014 she was awarded residencies and exhibitions at Plataforma Revólver, Lisbon, and the Real Fábrica de Cristales in La Granja, Segovia, Spain.

This residency program at Plataforma Revólver was supported by Transboavista, MIRIAD and Câmara Municipal de Lisboa.

Publicado a 2 de Abril de 2014

13
Out

Alice Gadrey (FR)

A Plataforma Revólver realizou nos meses de Outubro e Novembro de 2012, uma residência artística internacional cruzada Lisboa/Marselha. Este intercâmbio é feito em parceria com a Associação Castelo D’If e Château de Servières; a Plataforma Revólver acolhe em residência em Lisboa, no Edifício Transboavista, a artista francesa Alice Gadrey.

A residência oferece a possibilidade a artistas emergentes estrangeiros, de estabelecerem um network com a arte contemporânea que se produz em Lisboa, e cria a oportunidade para realização de obras e novos projectos – concebidos para a Plataforma Revólver em ligação com a cidade.

alice.gadrey.over-blog.com

Alice Gadrey (FR) > Outubro-Novembro 2012

Alice Gadrey (FR) > Outubro-Novembro 2012

Publicado a 13 de Outubro de 2012

23
Fev

A Plataforma Revólver promove desde 2009 um programa de residências artísticas, construído numa rede de colaborações e parcerias internacionais, funcionando como estrutura de acolhimento artístico para a cidade de Lisboa. A concessão de residências internacionais favorece a cidade de Lisboa como destino para artistas, assumindo-se a residência como uma forma de internacionalização de natureza muito prática.

O projecto de criação artística que a Plataforma Revólver desenvolve para a residência internacional é do tipo Artshare – propondo investir no campo dos contactos sociais e humanos, que criam dinâmica para a cidade de Lisboa e promovem a mobilidade de jovens artistas à escala mundial, para prazer de todos os envolvidos.

A residência oferece a possibilidade a artistas emergentes estrangeiros, de estabelecerem uma network com a arte contemporânea que se produz em Lisboa, e cria a oportunidade para realização de obras e novos projectos – concebidos para a Plataforma Revólver em ligação com a cidade.

Em 2012 a Plataforma Revólver lança um novo programa de intercâmbio de residências artísticas, em parceria com instituições internacionais, nomeadamente a Maison des Arts Georges Pompidou (Cajarc), o Chateau de Servières (Marselha) e Block T (Dublin).

FEVEREIRO >> MARÇO (Em parceria com a Fundação George Pompidou)

John Phillip Mäkinen
www.cargocollective.com/johnphillipmakinen

OUTUBRO. >> NOVEMBRO (Em parceria com o Chateau de Servières e a Associação Castelo d’If)

Alice Gadrey

OUTUBRO >> NOVEMBRO (Em parceria com BLOCK T e a Associação Castelo d’If)

Artista a confirmar

John Phillip Makinen (FIN) > Fevereiro-Março 2012

John Phillip Makinen (FIN) > Fevereiro-Março 2012

Publicado a 23 de Fevereiro de 2012

3
Nov

Criada em 2006, a Plataforma Revólver tem-se afirmado como espaço independente dedicado à realização de exposições e residências artísticas. Este ano, inauguramos o programa CCI (Concurso Curadores Independentes), que pretende envolver curadores ou colectivos de curadoria, convidando-os a candidatarem-se para a realização de um projecto pontual no espaço da Plataforma Revólver: uma exposição colectiva a realizar-se em Setembro de 2012.
Através do CCI, a Plataforma Revólver tem o prazer de apresentar uma iniciativa para apoiar curadores nacionais e internacionais, de maneira a desenvolverem e concretizarem os seus projectos expositivos.
A Plataforma Revólver será responsável pela organização e montagem da exposição, assim como pela publicação de um catálogo.
Este concurso é destinado aos profissionais da cultura, mas é aberto a todos os que desejem participar.

Como candidatar-se
Os interessados devem enviar:

· biografia do curador ou colectivo de curadoria

· sinopse do projecto (com 700 caracteres)

· cv dos artistas convidados (mínimo cinco artistas)

Membros do Júri:
Pedro Cabral Santo (Artista plástico e professor assistente na Universidade do Algarve), Victor Pinto da Fonseca (Director da Plataforma Revólver), João Silvério (Curador do projecto EMPTY CUBE).

Envio de candidaturas para plataformarevolver@gmail.com (com o assunto: Concurso Curadores Independentes CCI).

Data limite para apresentação de candidatura: 30 de Novembro 2011.
O resultado da selecção será divulgado no dia 18 de Dezembro 2011.

_________________________________________________________________________________

INDEPENDENT CURATORS CALLING | 2012

Established in 2006, Plataforma Revólver is a contemporary art organization based in Lisbon, housing several artists’ studios and offering a wide program of exhibitions and international artists’ residencies. This year, we launch the ICC (Independent Curator Calling) program, aiming to engage curators or curatorship collectives, inviting them to create an exhibition project to be presented in September 2012.
Through the ICC, Plataforma Revólver has the pleasure to present a program intended to support national and international curator practices, so as to make possible the development and concretization of their exhibition projects.
Plataforma Revólver will be responsible for the organization and setting up the exhibition, as well as the publication of a catalogue.
This calling is primarily destined to professionals in the culture domain, albeit it is open to all wishing to participate.

How to Apply
The application must contain:

· The curator or collective’s biography

· The project’s synopsis (with 700 characters)

· The invited artists’ CVs (five artists minimum)

Panel of Judges:
Pedro Cabral Santo (Artist and Assistant Professor at Universidade do Algarve), Victor Pinto da Fonseca (Director of Plataforma Revólver), João Silvério (EMPTY CUBE Project Curator)

Applications must be sent to plataformarevolver@gmail.com (subject: ICC Independent Curator Calling)

Application deadline: November 30th, 2011
Publication of results: December 18th, 2011.

Publicado a 3 de Novembro de 2011

7
Jan

A Plataforma Revólver promove desde 2009 um programa de residências artísticas, construído numa grande rede de colaborações e parcerias internacionais, funcionando como estrutura de acolhimento artístico para a cidade de Lisboa.

Em 2009 a Plataforma Revólver passou a fazer parte de um importante network europeu dedicado ao diálogo intercultural, enquanto mediador activo internacional.
O projecto de criação artística que a Plataforma Revólver desenvolve para a residência (coordenado pelo pépinières europénnes pour jeunes artistes) é do tipo Artshare – propondo investir no campo dos contactos sociais e humanos, que criam dinâmica para a cidade de Lisboa e promovem a mobilidade de jovens artistas à escala mundial, para prazer de todos os envolvidos.

A residência oferece a possibilidade a artistas emergentes estrangeiros, de estabelecerem uma network com a arte contemporânea que se produz em Lisboa,  e cria a oportunidade para realização de obras e novos projectos – concebidos para a Plataforma Revólver em ligação com a cidade.
Após a confirmação do sucesso de 2009 e 2010, a Plataforma Revólver voltará a conceder duas residências artísticas por um período de três meses – Outubro a Dezembro de 2011.

As candidaturas são feitas através do website http://www.art4eu.net, pépinières europénnes pour jeunes artistes, e estão abertas a artistas jovens e emergentes (18 aos 35 anos), residentes em países membros. A residência terá de decorrer fora do país de origem ou residência dos artistas.

No âmbito da Bienal de Jovens Criadores da Europa e do Mediterrâneo www.bjcem.org – pretende a Plataforma Revólver lançar, com o CAI, uma candidatura para 1 residência artística de 2 meses (Nov-Dez) para artistas residentes nos países da península balcânica e da zona sul do mar mediterrâneo.

A concessão de residências internacionais favorece a cidade de Lisboa como destino para artistas, assumindo-se a residência como uma forma de internacionalização de natureza muito prática.

Forma de Apoio (por artista em residência):

- Bolsa de apoio à produção (incluindo ajudas de custo para a alimentação)
- Alojamento
- Acompanhamento artístico do projecto
- Apoio à divulgação
- Ateliê com 50 m2, com internet e meios de secretariado
-A organização das viagens durante o período de residência fica a cargo dos participantes.

Vienne Chan (CN) e Daniel Hoflund (SE)

Vienne Chan (CN) e Daniel Hoflund (SE) > Outubro-Dezembro 2010

Anne Bourse (FR) e Steve Schepens (BE)

Anne Bourse (FR) e Steve Schepens (BE) > Setembro-Dezembro 2009

Publicado a 7 de Janeiro de 2011

24
Jun

RESIDÊNCIAS INTERNACIONAIS – Setembro > Dezembro 2009

A Plataforma Revólver acolhe a partir de 20 de Setembro dois artistas internacionais em residência por um periodo de 3 meses; a Arte Contemporânea transcende culturas: a selecção dos candidatos obedeceu a uma candidatura (através do site da Pepinières europèennes pour jeunes artistes), tendo a Plataforma Revólver recebido mais de trinta propostas de candidatos provenientes de França, Itália, Canadá, Brasil, Estónia, Polónia, Eslováquia, etc.
Pretende o Edifício Transboavista tornar sazonal a modalidade de acolher em Lisboa artistas provenientes de fora de Portugal.
As residências são um local de trabalho e criação de projectos artísticos, que criam dinâmica para a cidade. Estas residências, de forte ligação à arte permitirão descobrir novas tendências e o encontro de artistas, para prazer de todos os envolvidos.
Porque a cultura é componente essencial da cidade, o Edifício Transboavista transmite, através da programação que produz, uma imagem inovadora e criativa de Lisboa, criando uma nova dinâmica que favorece a sensibilização do público, as trocas culturais e a construção de net works.

Estas residências realizam-se em colaboração com o Clube Português de Artes e Ideias.

INTERNATIONAL RESIDENCE – September> December 2009

Plataforma Revólver will have, from 20 of September, 2 international artists in residence for a period of three months. The Contemporary Art transcends cultures: the selection of the candidates was made through an application (in the Pépinières européennes pour jeunes artistes web site), and we received more than thirty proposals from France, Italy, Canada, Brazil, Estonia, Poland, Slovakia, etc..
The building will make seasonal, in Lisbon, the residence to  international artists.
The residences are a place of work and art projects that will create momentum for the city. With these residences, with a strong connection to art, we will discover new trends and new artists.
Because culture is an essential component of the city, with this programme transboavista aims to provide an image of innovative and creative Lisbon, creating a new dynamism that promotes public awareness and cultural exchanges.

These residences are held in collaboration with the Portuguese Clube de Artes e Ideias and Re-al.org


Anne Bourse (Lyon, 1982)

Bacharel em Literatura, frequentou a Academia Libanesa de Belas Artes e a National Fine Art School em Lyon.
Exposições Colectivas: “It is somewhat ambitious…of shrewdness and of absurdity“, Gallery Super, Paris (2009); Work in progress at the Studio 27, European Culturel Center, Berlin (2009); Mononale, Gallery 21, Hamburg (2008); Hunter! Hunter! 2, Gallery Hinterconti, Hamburg (2008); Nuage-Eclair, Lyon (2007); Le prix de Paris, ENBA Lyon (2007); Zirconia – encrusted tweezers, Dome Theater, Beirute.
Exposições individuais: Politique de l’enfance, ou, comment cacher suspicion dans innocence, Tout-En-Cours, Lyon, 2008; Géomètres, Pollueurs et Sorciers, Gallery Roger Tator, Lyon (2007).

Anne Bourse, Geometres, pollueurs et sorciers, 2007, instalação

Anne Bourse, Geometres, pollueurs et sorciers, 2007, instalação

Anne Bourse, Colour filled plantations, 2006, instalação

Anne Bourse, Colour filled plantations, 2006, instalação

Steve Schepens (Gent, Bélgica, 1979)

Mestre em Pintura pela Academia de Belas Artes de Gent.
Expõe regularmente desde 2005. Das suas exposições destacam-se:
Exposições individuais – Horror 26, ONA Gallery, São Francisco (2009); Horror 30, Bélgica (2009); Horror 32, Berlim (2009); Horror 46, ArteLisboa, Lisboa (2008);
Exposições colectivas – Horror 53, Hamish Morrison Gallery, Berlim (2009); Horror 58, Artstrom, Thyssen-Bornemisza, Berlim (2009); Horror 7, Scalamata Gallery, Bienal de Veneza (2009); Horror paintings, Space Other Gallery, Boston (2008); Horror 15, Marta Museum, Herford-Alemanha (2006).

Steve Schepens, 2005, Horror 7, videostill of performance

Steve Schepens, 2005, Horror 7, videostill of performance

Steve Schepens, 2008, Horror 46 - Cerca e Trova, 150x300x300 cm

Steve Schepens, 2008, Horror 46 - Cerca e Trova, 150x300x300 cm


 
Publicado a 24 de Junho de 2010